Bombou na Semana

Sampaoli aposta em "nova história" e projeta Argentina até a final



Há quem diga que uma mesma história repetida muitas vezes acaba se tornando verdade. Ao que parece, Jorge Sampaoli abraçou esta teoria. Após uma semana conturbada em Bronnitsy, a Argentina chega pressionada para encarar a Nigéria, terça-feira, em São Petersburgo, na decisão do Grupo D da Copa do Mundo. O treinador, por sua vez, foi só otimismo em entrevista coletiva.

Alvo que muitas queixas em seu país e especulações até mesmo de cobrança dos jogadores, Sampaoli garantiu ao torcedor que sua equipe fará a melhor exibição no Mundial da Rússia diante dos nigerianos. Depois do empate com a Islândia e a derrota para a Croácia, ele promete uma evolução e parece confiar piamente nisso.

Em oito das 13 perguntas, esse foi o tom do discurso. Separamos todos os trechos do discurso de autoconfiança e otimismo do comandante argentino, que projetou uma reviravolta até o título mundial:

"Tenho certeza que jogaremos melhor"
"Estou convencido que a partir de amanhã muda a história para esta seleção. Tenho muitos argumentos para acreditar nisso".
"O que posso dizer é que tenho a confiança e a segurança de que amanhã a Argentina começa a viver este Mundial de outra forma".
"Temos que jogar essa partida com o coração. Temos que transmitir uma equipe decidida a buscar a partida e a classificação para a seguinte fase. Estou convencido de que amanhã será um ponto de partida".
"Por dividir muitos momentos com os jogadores, estou convencido de que a Argentina atingirá o nível individual e coletivo necessário para avançar".
"Precisamos ser uma fortaleza para dar o que a equipe precisa para arrancar no mundial. Nossa meta é vencer cinco partidas até a final. Amanhã será a primeira".
"Temos que assumir o que vivemos e fazer a primeira parte das cinco partidas até a final".
"Não temos alternativas e estou seguro de que isso acontecer. Vocês vão ver a melhor versão da Argentina no Mundial".
O comportamento positivo não fez com que Sampaoli se esquivasse de temas delicados que cercaram sua seleção ao longo da semana. Separando o que trata de mundo real e virtual (com críticas e ofensivas na internet), o treinador se mostrou tranquilo e preocupado apenas em proteger seus familiares, que têm acesso a este tipo de material:

- Perder uma partida de futebol te faz um perdedor, e neste mundo virtual te fazem delinquente, descartável após uma derrota. Se fosse me inteirar deste mundo virtual, deixaria a profissão. Tenho muito entusiasmo para seguir lutando.

O técnico voltou a fazer mistério sobre a escalação. Na última pergunta da coletiva, entretanto, deu a entender que realmente promoverá a entrada de jogadores rodados, como Banega, Di María e Higuaín.

- Se jogarem, a explicação seria que é um momento muito delicado que chegamos e seria mais lógico que encarem jogadores com mais experiência neste tipo de competição. Tanto pela pressão quanto pelo rendimento neste tipo de desafio.

A Argentina encara a Nigéria às 15h (de Brasília) desta terça-feira, em São Petersburgo. Para avançar na Copa do Mundo, é necessário vencer e secar a Islândia, que mede forças com a Croácia no mesmo horário, em Rostov.

Fonte: globoesporte.com

Nenhum comentário